15 de dez de 2008

Garibaldi ouve Rezek e anuncia recandidatura



2009 também terá eleições. Em fevereiro, serão escolhidos os novos presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado Federal. O deputado paulista e presidente nacional do PMDB, Michel Temer (à direita), é o favorito para liderar a Câmara. No Senado, Garibaldi Alves Filho (ao centro), peemedebista do Rio Grande do Norte, decidiu concorrer à reeleição.

O Regimento Interno do Senado proíbe a recondução do presidente na mesma legislatura. Mas Garibaldi ouviu do jurista santa-ritense José Francisco Rezek (à esquerda) que sua recandidatura pode ter amparo legal. A brecha existiria porque o atual presidente cumpre um ‘período tampão’ – elegera-se no final de 2007 para completar o mandato de Renan Calheiros (PMDB-AL).

Garibaldi procurou Rezek na última quinta-feira (11). Em seguida, houve uma enxurrada de notícias dando conta de que a candidatura à reeleição estaria respaldada num parecer elaborado pelo jurista. Rezek, porém, desmentiu o boato quase convertido em fato. Declarou ao blog do jornalista Josias de Souza que apenas recebera de Garibaldi um texto, escrito por outro advogado, limitando-se a dizer que a tese da recandidatura é “perfeitamente defensável”.

De acordo com Josias, o autor do documento é Luiz Rodrigues Wandier e a consulta seria feita a Paulo Brossard, ex-ministro da Justiça e do Supremo Tribunal Federal (STF). Entretanto, Brossard foi internado na mesma quinta-feira em que receberia o texto.

Curiosidades: 1. O PT, que lançou a candidatura do senador Tião Viana (AC), pretende questionar a legalidade da manobra de Garibaldi. 2. O PT apóia Temer na Câmara e espera reciprocidade do PMDB no Senado. 3. Rezek foi ministro das Relações Exteriores, do STF e do TSE, e hoje é sócio do tributarista Ives Gandra da Silva Martins. 4. A semelhança física entre Rezek e Temer tem explicação: a ascendência libanesa de ambos.

Nenhum comentário: