20 de fev de 2009

Comissão de ex-funcionários da Phihong começa a atuar

[Matéria de Jonas Costa para a Gazeta do Vale]

A comissão de ex-funcionários da empresa santa-ritense Phihong PWM Brasil tomou suas primeiras decisões na semana passada. Duas reuniões já aconteceram desde a eleição dos 19 integrantes do grupo, que ocorreu em assembleia no dia 4 de fevereiro. A comissão é responsável pela manutenção do prédio e das máquinas que pertenciam à Phihong e que foram arrematados pelos trabalhadores para quitação de débitos trabalhistas da indústria.

A renovação do contrato com a empresa que responde pela vigilância do prédio foi aprovada na última segunda-feira, 16. De acordo com o gestor da comissão, Mozart Zaghi, o serviço de segurança custará R$ 20,1 mil até o início de junho, quando o contrato perderá a validade.

Outra deliberação foi a escolha dos 11 membros de uma subcomissão que visitará o prédio industrial para verificar a presença dos equipamentos adquiridos pelos operários em leilão da Justiça do Trabalho no mês de dezembro de 2008. A subcomissão é coordenada por Flávio Gonçalves de Ulhôa, ex-supervisor de qualidade da Phihong.

Na semana passada, a comissão recebeu empresários paulistas interessados em conhecer o prédio e as máquinas. “Saíram daqui muito satisfeitos com o que viram”, diz Mozart Zaghi. Apesar de a crise econômica global inibir grandes investimentos, o gestor mantém o otimismo: “É na crise que se aprende e se faz bons negócios. Acredito que vá surgir um investidor que enxergue em nossos ativos uma ótima oportunidade de negócio”.

Estão em discussão pela comissão outros assuntos, como a contratação de uma empresa especializada em comercialização de prédios industriais e máquinas. O grupo de ex-funcionários também negocia com jornais impressos e emissoras de rádio espaços para a divulgação de suas ações.

Para Mozart Zaghi, o sucesso nas negociações para a venda dos bens depende da união dos grupos envolvidos no caso. “Realizações só são possíveis por haver uma convivência sadia e positiva entre a comissão de ex-funcionários, os advogados, o sindicato [Sindmetsrs] e os trabalhadores, únicos proprietários dos ativos arrematados”, conclui o gestor.

2 comentários:

marilda disse...

so quero saber se vamos receber como ex funcionarios ou como socios que somos pq temos muito dinheiro em jogo e mais juros ja que somos donos teremos todo este dinheiro dividido naum eh?

marilda disse...

.. sera que queriam passar a perna em nos? vamos lutar juntos por nossos direitos se somos donos queremos receber como tal