6 de mar de 2009

Buraco na rua Elpídio Costa preocupa moradores



[Reportagem de Jonas Costa para a Gazeta do Vale]

Um buraco que surgiu no final do ano passado na rua Elpídio Costa, em Santa Rita do Sapucaí, vem causando transtornos à população da região. A abertura apareceu quando alguns paralelepípedos afundaram. Moradores relatam que ficaram surpresos ao perceberem que o calçamento estava prestes a desabar num trecho da rua. As pedras se sustentavam de maneira precária acima de uma área oca. Com a retirada do calçamento, descobriu-se que o esgoto vazava entre tubos quebrados.

A rua Elpídio Costa fica no bairro Maristela e liga três importantes vias santa-ritenses – começa na rua Antônio Teles (rua da Pedra), faz esquina com a avenida Frederico de Paula Cunha (avenida da Coca-Cola) e termina na rua Capitão Vicente Ribeiro do Vale (rua do Queima). Para refazer a pavimentação, foi necessário impedir o trânsito entre o cruzamento com a rua Juca Castelo e a travessa Fátima Lúcia Bonaccorsi.

As obras foram interrompidas no período em que houve risco de enchente na rua. Apenas parte do calçamento retirado foi recolocada e nem todos os tubos de esgoto foram substituídos. A área em que faltam manilhas foi preenchida com terra e areia despejadas pela Prefeitura. Com as chuvas, um novo buraco se formou. Duas cercas de madeira foram instaladas para impedir a circulação de carros e motos no trecho afetado.

O sobrado do comerciante Luiz Marcos Minguta, 46, está localizado em frente ao buraco e é um dos mais prejudicados pelo problema. Luiz é proprietário de uma loja que fica no primeiro pavimento do prédio e mora com a família no segundo piso. O prédio apresenta diversas rachaduras, assim como a calçada que o contorna. Até mesmo um cabo de energia elétrica que estava sob o reboco ficou exposto com o aparecimento de trincas.

O comerciante é testemunha de um acidente que ocorreu no local e envolveu um idoso. “Puseram essa cerca aí, sem sinalização nenhuma. Um dia veio um senhor com uma Brasília e caiu dentro do buraco à noite. Estava chovendo demais. Sorte que não afundou”, relata. Luiz lamenta que a falta de providências esteja prejudicando seu estabelecimento comercial, já que a área interditada era usada para descarga de mercadorias e estacionamento de veículos de clientes.

O cabeleireiro José Diarlércio de Souza, 39, é dono de outro imóvel atingido pelas rachaduras. As paredes de seu salão de beleza apresentam trincas por dentro e por fora. Para Diarlércio, as dívidas da Prefeitura não a isentam da responsabilidade de cuidar da infraestrutura urbana. “Falam que não tem dinheiro, mas esse problema tem que ser resolvido”, reclama o cabeleireiro.

Outro morador da Elpídio Costa, que não quis se identificar, mostrou à reportagem um caderno em que anota fatos desde que o buraco foi descoberto. De acordo com as anotações, a abertura surgiu no dia 15 de dezembro. Cinco dias depois, o trânsito teria sido impedido pelos próprios moradores, que dizem ter empilhado pedras no meio da rua. O caderno registra que a pavimentação começou a ser refeita em 21 de janeiro. A última anotação cita a colocação da cerca, que teria acontecido em 6 de fevereiro.

Outro lado – O secretário municipal de Obras, Luiz Alberto Duarte Julidori, declarou à reportagem que a substituição da rede de esgoto da rua Elpídio Costa é a maior prioridade de sua pasta. De acordo com Julidori, será necessário um investimento de R$ 870 mil. O secretário disse que não há previsão para o início das obras por “falta de recursos financeiros e humanos e maquinário”. “Estamos buscando recursos dos governos estadual e federal”, comentou.

Fotos: Jonas Costa

Nenhum comentário: