2 de mai de 2009

Escândalo dos bilhetes aéreos atinge Bilac, Odair e Thadeu

[Matéria de Jonas Costa para a Gazeta do Vale]

Três representantes do Sul de Minas na Câmara Federal são acusados de pagar voos internacionais com dinheiro público de forma irregular nos últimos dois anos. O erro teria sido cometido pelos deputados Bilac Pinto (PR), de Santa Rita do Sapucaí, Odair Cunha (PT), de Boa Esperança, e Geraldo Thadeu (PPS), de Poços de Caldas. A informação foi divulgada na semana passada pelo site Congresso em Foco. O levantamento indica que 261 dos 513 deputados federais estariam envolvidos no escândalo conhecido como ‘farra das passagens’.

Segundo o site, os três políticos sul-mineiros cederam, juntos, 11 bilhetes aéreos de suas cotas para oito pessoas viajarem. Pelas normas atuais, a Câmara só pode custear viagens dos próprios deputados.

Geraldo Thadeu é acusado de ceder oito passagens. Entre os supostos beneficiários estão Ângela Maria Oliveira (Frankfurt/Buenos Aires e Buenos Aires/São Paulo) e Zélia Adriana Santos (São Paulo/Madri e Madri/São Paulo). Também são citados Andréa Marques, Antônio Salgado Neto, Miguel Guidicissi e Úrsula Favale, que teriam viajado de São Paulo a Frankfurt. Segundo o levantamento, os voos ocorreram de março a setembro de 2008.

O Congresso em Foco aponta Bilac Pinto como responsável pelo repasse de dois bilhetes a uma pessoa identificada como Flávia Pinto. De acordo com o site, foram financiadas duas viagens, de ida e volta, entre São Paulo e Nova York. Os deslocamentos teriam acontecido no mesmo dia, em 14 de agosto de 2007.

Odair Cunha foi citado pelo Congresso em Foco pela suposta cessão de uma passagem. O petista admitiu que usou o benefício para custear uma viagem do padre Geraldo Silva, de Buenos Aires ao Rio de Janeiro. Odair argumenta que, no dia 21 de maio de 2008, o sacerdote voltava de um evento sobre direito canônico. “A minha ação parlamentar é baseada, entre outras, na militância católica. Apoio, sempre que posso, ações de movimentos e pastorais da Igreja”, justificou o deputado, em nota.

Outro lado – A reportagem telefonou para os gabinetes de Bilac, Odair e Thadeu na terça-feira, 28. Nenhum dos três foi encontrado. Até a conclusão desta edição, os políticos não haviam retornado para comentar as informações divulgadas pelo site Congresso em Foco.

Deputados mineiros envolvidos
Ademir Camilo (PDT) – 4 viagens
Antônio Roberto (PV) – 2 viagens
Bilac Pinto (PR) – 2 viagens
Ciro Pedrosa (PV) – 6 viagens
Eduardo Barbosa (PSDB) – 2 viagens
Fábio Ramalho (PV) – 4 viagens
Fernando Diniz (PMDB) – 1 viagem
George Hilton (PP) – 27 viagens
Geraldo Thadeu (PPS) – 8 viagens
Gilmar Machado (PT) – 4 viagens
Jaime Martins (PR) – 11 viagens
João Magalhães (PMDB) – 16 viagens
José Santana de Vasconcellos (PR) – 2 viagens
Júlio Delgado (PSB) – 8 viagens
Lael Varella (DEM) – 2 viagens
Leonardo Quintão (PMDB) – 5 viagens
Lincoln Portela (PR) – 8 viagens
Luiz Fernando Faria (PP) – 2 viagens
Marcos Montes (DEM) – 6 viagens
Maria Lúcia Cardoso (PMDB) – 14 viagens
Odair Cunha (PT) – 1 viagem
Paulo Abi-Ackel (PSDB) – 7 viagens
Paulo Piau (PMDB) – 12 viagens
Rafael Guerra (PSDB) – 2 viagens

2 comentários:

Vívian Curitiba disse...

Parabens pelo Blog Jonas!Jornalismo com seriedade sempre faz a diferença!
Sucesso pra vc!

Vívian

Evandro Carvalho disse...

A "farra das passagens aéreas" sempre existiu no Congresso (e em outras câmaras também). Estranho é o fato dos grandões da imprensa brasileira conclamarem a opinião pública décadas mais tarde. Parece-me claro que a imprensa brasileira é conivente com a corrupção sem limites de nossos seráficos deputados. Parabéns pelo blog. Só acho que ele está muito azul.