19 de jun de 2009

JUCA aumentam vendas e ocorrências policiais

[Matéria de Jonas Costa para a Gazeta do Vale]

O comércio e a segurança estão entre os setores mais afetados pela 16ª edição dos Jogos Universitários de Comunicação e Artes (JUCA), que tiveram Santa Rita do Sapucaí como sede. Promovida de 11 a 14 de junho, a competição esportiva aqueceu as vendas na cidade, mas provocou aumento das ocorrências policiais. Cerca de 8 mil estudantes paulistas participaram dos jogos, que ocorreram no Ginásio Poliesportivo ‘Alcidão’, Estádio Erasmo Cabral e Instituto Nacional de Telecomunicações (Inatel). A Universidade Presbiteriana Mackenzie sagrou-se campeã.

De acordo com dados da Associação Comercial e Empresarial do Vale da Eletrônica (Acevale), o setor de gêneros alimentícios teve um acréscimo de 300% em comparação com os dias anteriores. O presidente da entidade, José Norberto Dias, acredita que esse setor recebeu durante os jogos um número de consumidores equivalente a 20 dias normais. “Não só o comércio lucrou. As residências próximas aos locais dos jogos também lucraram com o pagamento de banhos, aluguel de garagens e quartos”, acrescenta o presidente da Acevale.

Rodolfo Brusamolin, que gerencia um hotel da cidade, conta que as reservas começaram a ser feitas pelos visitantes dois meses antes dos JUCA. Estudantes e membros de comissões técnicas ocuparam todas as vagas do estabelecimento por quatro dias. Jair de Souza, gerente de um supermercado santa-ritense, diz que foi necessário ampliar o estoque de mercadorias para atender aos universitários. Alimentos e bebidas foram os itens mais procurados.

O saldo foi positivo na avaliação do coordenador municipal de Eventos, Janilton Prado. “O comércio foi muito movimentado e os jogos foram muito bem organizados. As pessoas vieram para consumir. Isso era nítido. E o dinheiro fica na cidade”, opina. Prado reconhece que a organização dos JUCA esbarrou em deficiências estruturais. “A cidade não está pronta para grandes eventos, apesar de termos Carnaval e Festa de Santa Rita, sempre com alguns problemas. Os jogos vieram para que possamos pensar em outras soluções e opções para eventos na cidade”.

A Polícia Militar sustenta que houve 22 incidentes relacionados com a competição e as festas noturnas que a acompanharam. Os delitos mais recorrentes foram os furtos de objetos dentro de veículos (14 ocorrências). Nos dias de jogos, a PM registrou três acidentes de trânsito, um furto a residência, uma lesão corporal e um motorista alcoolizado. Um grupo de estudantes foi responsabilizado pela danificação de portas de uma chácara em que se hospedou. O único jovem flagrado com drogas ilícitas foi enquadrado como usuário de maconha e lança-perfume.

O comandante da PM local, capitão Mário Jorge Sandy, admite que o evento “foi bem mais tranquilo do que imaginávamos que poderia ser”. Ele salienta que o efetivo da cidade recebeu um reforço de 20 policiais e contou com a colaboração da Guarda Municipal durante os JUCA. Capitão Sandy diz que a realização das ‘baladas’ – cujos alvarás não tiveram aval da PM – provocou perturbação de sossego e dificuldades no atendimento pelo sistema público de saúde. O comandante explica que os estudantes de outras cidades “são mais vítimas do que autores”. “Eles trazem para a cidade a oportunidade para que o infrator aja. Isso para a Polícia Militar é ruim”.

Com o término dos jogos, santa-ritenses lançaram um abaixo-assinado no site de relacionamentos Orkut solicitando uma nova edição do evento em Santa Rita. Janilton Prado afirma que uma segunda oportunidade possibilitaria um planejamento mais eficiente. “Receberíamos muito melhor numa segunda ou terceira vez porque as pessoas saberiam do que se trata. Estávamos apreensivos com o desconhecido porque não havíamos participado ainda desse tipo de evento”.

Foto: arquivo Prefeitura

Nenhum comentário: