26 de jun de 2009

Os alienígenas vêm aí

Uma pré-candidatura no mínimo esquisita ganhou força nas últimas semanas em São Paulo. O PT e legendas do autodenominado Bloco de Esquerda (PSB, PDT e PCdoB) vêm tentando convencer o deputado Ciro Gomes (PSB-CE) a disputar o governo paulista. Ciro nasceu em Pindamonhangaba (SP), mas fez toda a sua carreira política no Ceará.

Ex-ministro da Fazenda e da Integração Nacional, o deputado cearense é um nome que tem densidade nacional. Disputou duas eleições presidenciais pelo PPS e diz estar se preparando para uma nova corrida ao Planalto em 2010. Acontece que as forças governistas já têm outra candidata competitiva: a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff (PT). Na última semana, uma pesquisa do instituto GPP-Brasil apontou que, caso Ciro desista da eleição à presidência, Dilma ultrapassaria José Serra (PSDB) no Nordeste.

Se Ciro passasse a mirar o Palácio dos Bandeirantes, o PT ganharia um forte palanque no estado mais populoso do país. O partido do presidente Lula evitaria, assim, o risco de sofrer a quarta derrota consecutiva para os tucanos paulistas. Sem o PT na cabeça da chapa, o confronto com o PSDB seria ‘indireto’. Por outro lado, o petismo ignoraria alguns de seus nomes de peso, como os senadores Eduardo Suplicy e Aloizio Mercadante, a ex-prefeita Marta Suplicy e o ex-ministro Antonio Palocci.

A ‘importação’ de candidatos parece estranha, mas não é fenômeno recente no Brasil. O caso mais famoso (e bem-sucedido) é o do gaúcho Leonel Brizola (PDT), que adotou o Rio de Janeiro como base eleitoral ao retornar do exílio, em 1979. Brizola acabou se elegendo governador do Rio em 1982 e 1990. O ex-presidente José Sarney (PMDB), cujo feudo é o Maranhão, transferiu seu domicílio eleitoral para o Amapá em 1990 e desde então representa este estado no Senado Federal.

O também ex-presidente Fernando Collor (PTB), carioca radicado em Alagoas, disputou a Prefeitura de São Paulo em 2000, mas não teve sucesso. O ex-deputado Babá (PSOL) trocou o Pará pelo Rio em 2006 e não conquistou a reeleição.

Se aceitar ser alienígena em São Paulo, Ciro Gomes pode até decolar. Caso contrário, terá de voltar imediatamente para o Ceará em seu disco voador.

Nenhum comentário: