24 de ago de 2009

Associação José do Patrocínio pede ajuda para reformar sede


[Matéria de Jonas Costa para a Gazeta do Vale]

Pouco antes de falecer, a líder negra Maria Idalina de Jesus (1902-1997), mais conhecida como ‘Maria Bonita’, fez um apelo a alguns amigos: não deixar o “salão” morrer. Ela se referia à Associação José do Patrocínio, clube social que ajudou a fundar em Santa Rita do Sapucaí. Entre os interlocutores estavam o construtor José Margarida (Quita) e o pedreiro José Borges (Zé Pequeno), integrantes da velha guarda da entidade. Impulsionado pelo pedido de Maria, um pequeno grupo manteve a associação em funcionamento até 2004.

O clube enfrentou vários problemas desde o início desta década. O primeiro deles foi a enchente ocorrida em janeiro de 2000. Em seguida, uma ação judicial foi movida por um vizinho que se sentia incomodado pelos bailes da associação. A diretoria foi obrigada a instalar isolamento acústico na sede. O prédio chegou a ser interditado pela Justiça. Endividada e sem apoio do poder público, a associação cerrou suas portas. Desde então, parte do teto cedeu e abaixo dele só há poeira, teias de aranha e vestígios de um passado glorioso.

O prédio da associação foi inaugurado no início da década de 1950 para sediar o bloco carnavalesco Mimosas Cravinas, criado por negros nos anos 30. A entidade surgiu numa época em que os afrodescendentes só participavam do Clube Santarritense se estivessem a serviço dos brancos. A festa do 13 de maio, data da libertação dos escravos, era o momento mais aguardado pelos sócios das ‘Cravinas’.

A atual presidente da associação, Maria Tereza Alves, lidera um movimento para reformar e reativar o clube. Para concretizar o desejo de Maria Bonita, ela busca apoio de organismos estatais e da iniciativa privada. Os resultados ainda não apareceram, mas Maria Tereza faz da campanha uma “questão de honra”. “Peguei a presidência para correr atrás da reforma. Achavam que não tinha mais jeito, ninguém queria pegar. Quero reerguer a associação, não deixá-la morrer”, afirma a presidente.

A Prefeitura ainda mantém um convênio com as Cravinas para a realização das festividades de 13 de maio, que nos últimos anos aconteceram no Ginásio Poliesportivo Municipal Dr. José Alcides Rennó Mendes. Segundo Janilton Prado, assessor do prefeito santa-ritense, o Município pretende contratar um arquiteto para que seja elaborado um projeto de revitalização do espaço. Prado realizou um levantamento de dados sobre a associação e fez contatos com o governo estadual, mas reconhece que a demanda empacou por falta de recursos próprios e de um profissional da área de arquitetura. “É um projeto lento, mas está dentro da programação da Prefeitura”, assegura o assessor.

Foto: Jonas Costa

Nenhum comentário: