24 de ago de 2009

Dirigente da CNA opina sobre a crise da cafeicultura

[Entrevista concedida a Jonas Costa e publicada na Gazeta do Vale]

Poucas palavras e otimismo. Foi assim que o cafeicultor Breno Pereira de Mesquita se comportou durante entrevista sobre a crise do setor cafeeiro. Natural de Santa Rita do Sapucaí, ele preside a Comissão Nacional de Café da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). Em rápida conversa, Mesquita comentou o movimento SOS Cafeicultura e afirmou esperar providências rápidas do governo federal para socorrer os produtores.

O senhor tem participado do movimento SOS Cafeicultura?
Breno Mesquita –
O movimento SOS Cafeicultura, na verdade, foi um ‘start’ para as políticas em desenvolvimento.

Houve avanços significativos na relação entre governo federal e setor cafeeiro desde a marcha realizada em Varginha?
Mesquita –
Sim, foi criado um grupo de trabalho com a finalidade de se realizar um diagnóstico da cafeicultura brasileira.

O ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, e seus auxiliares são sensíveis às reivindicações dos cafeicultores?
Mesquita –
Completamente.

Que providências o senhor espera do governo Lula para que a crise do café seja superada?
Mesquita –
Esperamos que o governo ouça as lideranças da cafeicultura, e que se implemente, o mais rápido possível, uma política de geração de renda para a cadeia, principalmente para o setor de produção.

Caso a administração federal não atenda às solicitações do movimento, o que farão os produtores?
Mesquita –
Acreditamos que as reivindicações serão atendidas.

A situação econômica dos cafeicultores do Sul de Minas é melhor ou pior do que a média nacional?
Mesquita –
Não é exatamente a cafeicultura do Sul de Minas Gerais, mas sim a cafeicultura de montanha do Sul de Minas, a qual tem seu custo de produção encarecido, pelo uso intensivo de mão-de-obra.

Quais municípios do Vale do Sapucaí são mais prejudicados pela crise do café?
Mesquita –
Todos os municípios que tenham a cafeicultura como principal atividade econômica.

Foto: Agência Câmara

Nenhum comentário: