31 de ago de 2009

Presidente do Iphan aponta opções para reconstruir ‘Cravinas’

[Matéria de Jonas Costa para a Gazeta do Vale]

Após publicar o apelo da presidente da Associação José do Patrocínio, este blog buscou informações sobre os caminhos possíveis para a reativação da sede da entidade. O clamor de Maria Tereza Alves pela reforma do prédio recebeu apoio do presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), o arquiteto santa-ritense Luiz Fernando de Almeida.

“A primeira coisa que deve ser feita para que as ‘Cravinas’ sejam recuperadas é ter um projeto. Depois disso, a Prefeitura deve reconhecer a importância cultural e social da associação”, sugere Almeida. O presidente do Iphan diz que esse reconhecimento pode se dar por meio de tombamento pelo Conselho Municipal do Patrimônio Histórico, o que possibilitaria o financiamento do projeto de reconstrução.

Almeida aponta três possíveis fontes de recursos para a associação. O Fundo Nacional de Cultura permite investimento direto do Ministério da Cultura (MinC) e já viabilizou, em 2008, a reinauguração do Museu Delfim Moreira. Outra opção do MinC é a Lei Federal de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet), que possibilita abatimento no Imposto de Renda de empresas e pessoas físicas. O terceiro instrumento é a Lei Estadual de Incentivo à Cultura, através da qual as empresas mineiras podem reduzir seu Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

Luiz Fernando de Almeida entende que há mais uma alternativa para reativar a Associação José do Patrocínio: o envolvimento da sociedade santa-ritense a partir de uma campanha de arrecadação de fundos promovida pela própria entidade. “A campanha pode servir de razão, motivação, incentivo para que a associação seja propositiva, se recupere na promoção de ações afirmativas dos afrodescendentes, ou seja, que a intenção de recuperar a sede sirva para a associação se reconstituir como associação”, argumenta o presidente do Iphan.

Foto: arquivo Iphan

Nenhum comentário: