31 de ago de 2009

Vale da Eletrônica é escolhido para ter estação do Igam

[Matéria de Jonas Costa para a Gazeta do Vale]

Uma estação agrometeorológica do Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam) deve ser instalada em Santa Rita do Sapucaí. A escolha do Vale da Eletrônica foi confirmada na última quarta-feira, 26, durante visita de representantes do órgão à cidade. A estação medirá variáveis atmosféricas e do solo, como temperatura e umidade. Esses dados serão divulgados para facilitar o planejamento de atividades agrícolas e as pesquisas científicas na região.

Os equipamentos da nova unidade foram adquiridos pelo Igam com verbas do Programa Nacional de Desenvolvimento dos Recursos Hídricos (Proágua Nacional), financiado pelo Banco Mundial. A Prefeitura Municipal ficará responsável pela construção da estação. O Igam assumirá as despesas com limpeza e manutenção dos equipamentos, que funcionarão automaticamente o dia todo. Será necessária a presença diária de apenas uma pessoa para que os instrumentos se mantenham limpos.

Os dados captados pela estação serão remetidos via satélite ao Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), que por sua vez enviará as informações à Organização Mundial de Meteorologia (WMO). O Igam receberá os dados pela tecnologia GSM. Qualquer pessoa poderá acessar os números na página eletrônica do Inpe. Os índices medidos na cidade podem estimular o turismo climático, ou seja, a atração de visitantes interessados no clima local.

Além de Santa Rita, somente outros dois municípios mineiros serão incluídos na rede de estações do Igam. Um deles é Três Corações e o outro ainda não foi escolhido. O meteorologista Arthur Chaves, analista ambiental do instituto, explica que as cidades serão selecionadas para o preenchimento das “lacunas existentes no estado”. Outro critério é a incidência de enchentes, já que as estações agrometeorológicas recebem dados de sensores que medem os níveis de rios.

Para Arthur Chaves, a estação será uma ferramenta importante para os agricultores de Santa Rita e municípios vizinhos. Os números sobre umidade e temperatura do solo, diz ele, tornarão a irrigação mais eficiente. “Com dados de precipitação [possibilidade de chuvas], por exemplo, vão poder planejar melhor as lavouras”, explica o meteorologista.

Nenhum comentário: