27 de nov de 2009

Ex-prefeito é condenado por superfaturamento de show

[Matéria de Jonas Costa para a Gazeta do Vale]

O ex-prefeito santa-ritense Ronaldo de Azevedo Carvalho (PSDB) foi condenado em segunda instância, no dia 20 de novembro, pelo suposto superfaturamento de um show da dupla sertaneja Milionário & José Rico. O Tribunal de Justiça de Minas Gerais manteve a decisão do juiz José Sérgio Palmieri, titular da Segunda Vara da Comarca de Santa Rita do Sapucaí. O TJMG decidiu que Carvalho deve ficar inelegível e devolver R$ 26,7 mil aos cofres públicos.

A apresentação da dupla aconteceu em maio de 2006, durante a segunda gestão do tucano (2005-2008). De acordo com o Ministério Público, que propôs a ação, a Prefeitura teria gasto R$ 59,7 mil na contratação, alimentação e hospedagem da banda. O MP apurou que as apresentações de Milionário & José Rico custavam, na época, aproximadamente R$ 33 mil – valor orçado em Pouso Alegre e Congonhal, por exemplo.

O político declarou à reportagem que recorrerá da decisão do tribunal. Carvalho acredita que o processo terá “muitos desdobramentos”, já que o preço de uma produção artística é, segundo ele, uma “questão subjetiva”. “[O valor] depende da data contratada, do número de profissionais participantes, da distância do local de moradia do artista. Não é o mesmo de falar em um produto tabelado, como um veículo”, argumenta.

No início de outubro, o TJMG absolveu o tucano em outro processo, referente ao plano corporativo de telefonia móvel contratado em sua segunda passagem pela Prefeitura. Ao contrário do Ministério Público e do juiz Palmieri, os desembargadores do tribunal entenderam que o então prefeito não agiu de má-fé, bem como o vereador Clarismon Inácio (PSDB) e o ex-vereador Renato Antônio de Martha (PMDB). Carvalho alega que o uso de celulares reduziu os gastos com ligações telefônicas de R$ 15 mil para R$ 7 mil mensais.

Ronaldo Carvalho considera irônico o fato de ser processado por “alguns reais” no momento em que a Prefeitura é condenada a pagar mais de R$ 20 milhões à construtora itajubense BPS Terraplenagem – dívida classificada por ele como “fruto da omissão irresponsável de uma administração municipal”. O ex-prefeito afirma ser necessário comparar seu último governo com o atual. Segundo ele, a gestão tucana aplicou R$ 12 milhões em imóveis, adquiriu 20 veículos novos e atraiu 30 indústrias para a cidade, ao passo que a administração de Paulo Cândido da Silva (PV) “afugenta investimentos”.

Para Carvalho, a imprensa santa-ritense tem atuado com equilíbrio quando cobre assuntos relativos à sua carreira política. “Existe um princípio elementar do bom jornalismo: ouvir as partes interessadas, procurar as diversas versões. Entendo que a nossa imprensa, rádios e jornais, tem procurado cumprir este princípio”, reconhece.

2 comentários:

Marcos Souza disse...

Ola Jonas.
Acabei de receber um email com seu Blog e estou muito bem impressionado com o conteudo.

Sobre a materia especifica e sinto uma indignacao profunda em ver a indiferenca, cara de pau e como o ex prefeito subestima a capacidade do povo santarritense.

Nao consigo identificar nada de positivo na administracao dele, ao contrario, ele herdou uma adiministracao com 10 milhoes em caixa e 3 anos depois deixou a administracao com 9 milhoes de debito, sem ter feito nada que pudesse ser levado em consideracao ao longo prazo. Nem mesmo o pronto socorro foi feito de forma sustentavel.

Havia tantos problemas na administracao dele que ate me lembro ter conversado funcionarios do atual prefeito dizendo que o mais dificil foi organizar documentacoes e pagar tudo que o ex prefeito deixou de irregular.

O atual prefeito conseguiu pagar 9 milhoes de divida em menos de um ano de administracao e preparou a prefeitura para uma era de desenvolvimento sustentavel, colocando a prefeitura em condicao legal de voltar a receber verbas estaduais e federais, o que havia sido crtado devido a pessima administracao anterior e agora tem a ardua tarefa de pagar outra divida gerada devido a pessima administracao de prefeitos anteriores.

Eu diria que o atual prefeito teria direito de ir ao jornal e explicar o que esta sendo feito e se defender contra as inverdades frequentemente ditas pelo ex-prefeito.

Eu so espero que nao precisemos lutar contra uma possivel candidatura do ex-prefeito no futuro, pois os fatos sao claros e nao importa o valor da fraude, o que importa e a acao. O dinheiro e do contribuinte para ser devidamente administrado pelo prefeito, e nao moeda corrente que possa ser utilizada em seu proprio beneficio.

Parabens pelo trabalho.

Saudacoes

Marcos Souza

Nyna disse...

Ótima reportagem!!!!Muito bom ver um blog retratando a verdade em Santa Rita!!!