6 de nov de 2009

Negociação salarial é encerrada no Vale da Eletrônica

[Matéria de Jonas Costa para a Gazeta do Vale]

A negociação salarial entre as entidades que representam o operariado (Sindmetsrs) e a classe patronal (Sindvel) de Santa Rita do Sapucaí chegou ao fim na última semana. Os sindicatos acordaram os seguintes valores, retroativos a 1º de outubro: piso de R$ 520 para empresas com até 120 funcionários (aumento de 11,83%); piso de R$ 570 para firmas com mais de 120 empregados (acréscimo de 11,88%); reajuste de 8% para quem recebe acima do piso e abaixo de R$ 1 mil; e aumento de 7% àqueles que ganham mais de R$ 1 mil.

No início da campanha salarial, o Sindmetsrs reivindicou pisos entre R$ 637,91 e R$ 739,98. Após algumas reuniões com dirigentes do Sindvel, os representantes dos trabalhadores passaram a defender os valores mínimos de R$ 534 e R$ 585, conforme a quantidade de funcionários da empresa. Insatisfeitos com a contraproposta dos empresários, os operários iniciaram a mobilização sindical no final de setembro, mas não houve paralisação de atividades.

Os dois sindicatos chegaram a um consenso sobre as cláusulas sociais a serem observadas nos próximos dois anos. A presidente do Sindmetsrs, Maria Rosângela Lopes, ressalta duas conquistas: a obrigatoriedade de toda empresa reservar locais para amamentação de filhos de operárias, e a flexibilização do horário para o trabalhador-estudante. Não houve acordo quanto à criação de creches, mas Lopes entregou aos empresários um projeto de centro de educação infantil, elaborado pela Prefeitura, para atender 250 crianças.

A reportagem procurou o presidente do Sindvel, Roberto de Souza Pinto, e o representante da classe patronal na negociação salarial, Gustavo Bueno Borges, mas não conseguiu entrevistá-los.

Nenhum comentário: