12 de dez de 2009

Sociólogo prepara biografia de Ruy Brandão

[Matéria de Jonas Costa para a Gazeta do Vale]

A história da primeira emissora de rádio de Santa Rita do Sapucaí e a vida de seu fundador estão sendo transformadas em livro pelo sociólogo Yago Euzébio Bueno de Paiva Junho. As pesquisas e entrevistas sobre Ruy Brandão (1914-2002) e a Rádio Difusora Santarritense foram iniciadas há um ano e meio. A ideia surgiu depois que Bueno foi eleito para a cadeira número 38 da Academia de Letras, Ciências e Artes da cidade, cujo patrono é ‘Seu Ruy’. O acadêmico percebeu que um discurso, como é praxe na confraria, seria insuficiente para homenagear o patrono.

Para Bueno, o pioneiro da radiodifusão foi também o introdutor da eletrônica em Santa Rita. Segundo as pesquisas do sociólogo, Ruy Brandão criou uma das primeiras oficinas de conserto e montagem de rádios da cidade, no início da década de 1940. O surgimento da empresa Brandotoni teria preparado a população santa-ritense para o que Bueno chama de “cultura tecnológica”. “Quando a ETE [Escola Técnica de Eletrônica] foi criada, em 1959, as pessoas já sabiam minimamente o que era eletrônica. Seu Ruy foi um dos responsáveis por isso”, assinala.

O livro de Yago Bueno terá como título ‘Nas ondas da perseverança’ porque, segundo o autor, a obstinação foi a maior virtude de Ruy Brandão. Esse traço de personalidade ficou mais nítido nos primórdios da Difusora Santarritense. Sob críticas e sem patrocínio, o radialista pioneiro persistiu em seu sonho. Nas primeiras transmissões, em 1946, a rádio ainda era ‘perereca’ (expressão que hoje equivale a ‘pirata’). O estúdio clandestino foi denunciado e, logo depois, impedido de funcionar. A concessão da frequência e a inauguração oficial só aconteceram no ano seguinte.

Seu Ruy começou a entender o funcionamento dos rádios por acaso, enquanto traduzia apostilas em espanhol para o amigo Chiquito Andrade, que havia se matriculado num curso de eletrônica por correspondência. Bueno considera que esse interesse pela tecnologia mudou o rumo da história da cidade. “A Rádio Difusora alterou os padrões culturais de Santa Rita e contribuiu para a integração da população. A cidade era uma antes da Rádio e passou a ser outra depois dela”.

O sociólogo pretende lançar sua obra no segundo semestre de 2010. Bueno antecipa que o livro terá muitas passagens curiosas, como a vinda do pai de Seu Ruy para Santa Rita – José Soares Brandão era um ator português e abandonou sua companhia de teatro ao se apaixonar pela santa-ritense Ordália Dias, durante uma turnê pelo Sul de Minas. Também será narrado o período em que Ruy subia em árvores para chamar a atenção de sua futura esposa, Rosa Morais Brandão. A obra terá, ainda, histórias sobre programas que marcaram época na Difusora AM, como ‘Os brotos comandam’, dos anos 60 e 70.

Foto: acervo particular

Nenhum comentário: